sexta-feira, 4 de junho de 2010


COMEÇA NA GRAÇA... PASSA PELA CULPA... E PODE TERMINAR EM desGRAÇA!!!

Cheguei aos braços de Deus em 10 de fevereiro de 1980. Evangelizado, fui a uma igreja e naquele dia, tocado profundamente pelo Espírito Santo, aceitei a Jesus como meu Senhor e Salvador. Fiquei pelo menos meia hora em prantos, ajoelhado no altar. Me lembro de dois jovens abraçados a mim orando e quando me levantei tinha convicção de que algo muito poderoso havia penetrado em meu espírito. Meus olhos avermelhados de tanto chorar e uma certeza imensa de que meus pecados estavam perdoados, um alívio profundo em minha alma, era real a paz com Deus. Senti que, a partir daquele dia, minha vida nunca mais seria a mesma, como de fato aconteceu. Este acontecimento marcante deu um novo significado a minha existência . Deste dia em diante seguir Jesus, conhecê-lo, ser Seu discípulo era meu grande objetivo na vida.


Como foi que eu cheguei até a este encontro com Ele? Como fui atraído? O que mais me impressionou e me comoveu naquele momento e nos dias subsequentes?
As respostas são as mais simples. Pense comigo!

Primeiro lugar: conhecer o Amor de Deus, Sua bondade e misericórdia dispensadas a mim pecador, carente de Sua presença. A medida que os dias iam passando fui aprendendo sobre Sua "Graça" - Favor imerecido - , que em Sua infinita compaixão pelo pecador veio ao meu encontro. Nos amou de tal maneira que deu Seu Filho, Morte terrível no Calvário, pelos pecados não só meus, mas também pelos do mundo inteiro. Ressuscitado e, em seguida, elevado as alturas, hoje, eternamente a direita de Deus Pai e com a promessa que voltará um dia. Me encantei com tudo isto.

Segundo lugar: entendi que Ele enviou seu Espírito Santo, para habitar em mim, guiando-me a toda verdade. Escreveu meu nome no livro da vida. Com amor eterno Ele me amou e com bondade me atraiu, segundo as palavras do profeta. Nasci de novo, não da carne, mas do Espírito, as coisas velhas ficaram para traz, tudo se fez novo, não tenho palavras mais para descrever o milagre que Ele fez em minha vida.
Com o tempo, fui aprendendo que poderia definir este ato de Deus, em Cristo, por nós como: “Graça de Deus”. Que esta obra não poderia ter origem em nenhum outro ser, somente em Deus. Que ninguém poderia reivindicar ou intermediá-la, chamando para si o mérito da Salvação Eterna. Pois Jesus seria para sempre o protagonista deste Plano Divino.


Terceiro lugar: a minha entrega foi total, Jesus entrou em minha vida. Pela Graça fui Salvo, somente pela Graça. Sei que nenhum esforço humano ou sacrificio, poderia atrair o plano eterno de Deus, porque se estes esforços humanos surtissem efeito, Jesus jamais teria sido entregue por nós. Tudo Começou com Ele , passou por Ele e terminou Nele. "Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo", esta revelação encerra toda verdade da Redenção do homem. Não é necessário nada mais, somente Ele. Porque quem está em Cristo, está em Deus, este ato é completo, não necessita de coisa alguma a não ser a Fé, que nos justifica e a partir dela temos paz com o Criador, mediante Jesus Cristo. Muito mais posso acrescentar acerca da minha... da nossa salvação, exemplo: o nome no livro da vida, o arrabatamento, entre outros, seriam textos maravilhosos para se refletir e cheios de esperança.

O tempo passa e com ele muitas coisas mudam. A Politica, os valores familiares, avanços da ciência, enfim, as mudanças nos acompanham durante a caminhada pela vida. O Evangelho também vem mudando, não por si só, porque as palavras de vida eterna, permanecem para sempre, afirma Jesus. Venho observando que a medida que estes tempos modernos avançam, muitos em nome do Evangelho vão mudando seus conteúdos imutáveis e fazendo dele um desEVANGELHO, e assim empurram muita gente para mais distante da realidade das Boas Novas, criando um "deus imaginário". Eu, poderia enumerar vários problemas, mas vou me deter em três:.

O primeiro é a "culpa" constante promovida pela maldição de Malaquias, ensinamentos alicerçados em textos usados com ou sem intenção, mas com exegese tendenciosa e muitas vezes absurdas.
Vejo multidões, vivendo uma vida repleta destas culpas. A de Malaquias é usada diariamente, (se não der dinheiro para o CD ou para construir a basílica evangélica, o novo livro que será lançado, para um tal missionário desconhecido, uma campanha para amarrar o devorador, destruidor, predador, comedor e até o sirí, coitado, não escapou). A mensagem insistente é de que tudo vai dar errado na sua vida, eles afirmam.
E aí voce que é trabalhador, que levanta cedo, rala o dia todo, vai a igreja e ao invés de ouvir as Boas Novas ouve as "más novas", onde o dono da religião vai te chamar de ladrão, infiel, muquirana, papagaio no arame, usando textos bíblicos fora do contexto. Colocando em voce uma culpa terrível, onde qualquer episódio negativo na área financeira ou não, será relacionado com o fato de voce não ter dado até as "tripas" para a religião se sustentar. O chavão é "O BICHO VAI PEGAR, TE CUIDA".
A relação de Deus com o homem está condicionada com os seus bens, afirmam estes profetas da modernidade capitalista, e vão mais além, voce vale na igreja pelo que tem. Assim os crentes ficam disputando com Deus e com o próximo, quem vai ter mais, porque a idéia é de quem tem mais é mais abençoado. Quando voce não consegue ter, vem a "culpa". Porque? "Adestramento religioso".

A coisa vai piorando, quando entra na "maldição de familía" ou "espiritos familiares". A mesma estrutura de engano. Os textos são escolhidos aleatoriamente, sem contexto, péssima exegese, ausência total de hermenêutica, aventura bíblica purinha. Mais "culpa sobre culpa". Gente amarrando e desamarrando o tempo todo. As consciências desta gente vive em meio ao medo, cheios de ansiedade, auto condenação constante, porque, sai da maldição de Malaquias e cai na dos espiritos familiares.

Em último lugar, ampliando este quadro horroroso de vida com Deus, o indivíduo acaba se atolando na "maldição hereditária". Neste aspecto, os psicólogos neo-pentecostais, nadam de braçada, fazem a festa, intimidando, coagindo, atormentado o atormentado, construindo na alma humana, mais culpa, culpa, culpa.
Os problemas nunca são de responsabilidade pessoal, mas, sempre por causa da "hereditaridade do mal".
Também, não posso deixar de mencionar as estruturas criadas pelas Instituições com a alegação barata de que elas são indispensáveis para as Boas Novas de Jesus funcionarem (não critico organizar e sim institucionalizar).
Vejam: os "manuais" da Instituição (diga-se de passagem, são mais importantes que a Biblia), cargo do cargo, comissões, convenções, juntas (distritais, nacionais, regionais, locais, internacionais, porque não dizer até muitas delas infernais(?)).
Um pequeno braço do inferno dentro da comunidade, cheia de autoridade concedida por votos, de gente, muitas vezes, mal informada mas, bem intencionada, algumas vezes(?). Tudo com o pretexto de que o Evangelho necessita de toda esta parafernália do mundo para chegar no coração das pessoas. Mais "culpa" sobre o fiel, que aprende a viver sempre pendurado nisto, porque foi "adestrado", como um animal irracional, anos e anos a pensar assim.
Ouvi certa vez, dentro da Instituição que servi por 25 anos, um líder regional dizer para mim que uma tal de "assembléia distrital" era o evento mais importante da denominação (mais do que batismo, ceia, adoração, evangelismo, casamento, etc).

Bom, para chegar até a Cristo o discurso inicial é a Graça de Deus, com promessa da solução dos problemas, perdão, paz, alegria, Espirito Santo, mas, depois, aos poucos, vão descendo goela a baixo do povo, devagarinho, sem a percepção real, o desEVANGELHO, que tem contornos ainda mais terríveis além destes que mencionei nas linhas anteriores. Começa com um discurso que algumas vezes é o Evangelho mesmo, mas, vai mudando sutilmente, com o passar do tempo, em seguida, enche o individuo de "culpa", terminando sua vida em desGRAÇA EVANGÉLICA, fazendo das pessoas meros SOBREVIVENTES da fé. Eu conheço muita gente assim, SOBREVIVENTES da fé e NÃO OS QUE VIVEM NELA.
Maravilhoso é entender a Liberdade do Evangelho, Graça e Amor de Deus.

Em Jesus somos, LIVRES. A Obra Redentora da Cruz é suficiente, onde todas estas estruturas humanas de doutrina e adestramento são literalmente desconstruídas no coração do homem.
Que a relação de Deus com o ser não está nos bens que possui, mas no coração dele, amado incondicionalmente. Redenção completa e absoluta, plena. Jesus é o centro de tudo e de todos. Blaise Pascal disse em uma porção de seus fragmentos; " Jesus é o ponto fixo do Universo".
Ele por sí só é capaz de realizar todas as coisas no céu na terra e debaixo da terra. Não podemos jamais reduzir a pessoa de Jesus a figura pequena do homem ou a uma arquidiocese pentecostal e seus pretensos anseios de falso poder. Chega de culpa, culpa, culpa. Já basta os próprios pesos naturais do cotidiano.
Como tem sido maravilhoso quando em nossas pequenas reuniões podemos, rir, chorar cantar, compartilhar a Palavra, dividir com o outro nossas dificuldades sem medo, vencendo culpas, impostas ou auto produzidas. Poder agir no mover de Deus, desestruturados sim, mas, apenas das formas Institucionais e  livres  de "doutrinas bizarras".

No Filho de Deus está tudo o que o homem precisa. Podemos ser livres de verdade, resgatar o amor verdadeiro, a comunhão entre todos que, muitas vezes, foi roubada do coração por causa do desEVANGELHO, alegria perdida, paz conturbada, falta de entusiasmo com aquilo que é de Deus, indiferença...

Evangelho Sim, desEvangelho Não. Livres da culpa!!! Graça eterna ou desGraça (?).

Aqui está o poder de decisão. Nela inclusive temos a liberdade de escolha.


Vida e Paz!
Moacir

4 comentários:

Mario Bragança disse...

Moacir

Suas palavras sao sempre atuais. Eu era recem-convertido e recebi um chamado de Deus, ouvi a sua voz falando que queria que eu trabalhasse para Ele. E cheguei a enviar a historia de minha conversao e chamado para me candidatar a um Curso de Teologia no Seminario dessa mesma organizacao. Nesse meio tempo, calhou de eu conversar com o Superintendente Distrital (cargo que eu nao sabia muito bem para que servia até que um dia alguem me falou que o templo era da Igreja mas o estacionamento pertencia ao Distrito e que as financas eram separadas, etc - eu nao sabia que as coisas eram tao compicadas). E esse referido dirigente veio me dizer que eu nao tinha chamado nenhum, etc. Ele mal me conhecia. Respondi (normalmente sou calmo, mas na hora nem pensei, cri por isso falei): se Deus chamou o senhor eu nao sei, mas de que me chamou, tenho certeza. Voltando a historia do Seminario, quando li os documentos de inscricao (compromisso de nao beber bebida alcoolica por quatro anos, bla, bla, bla... - eu nem bebia e até hoje morando na Europa onde isso é normal, nao bebo) achei o legalismo ali expresso uma ofensa a liberdade do Evangelho - Cl 2:20-23 e respondi muito educadamente que nao poderia me inscrever num Seminario em que Jesus nao poderia se inscrever. Como todo membro, recebi tambem um manual e achei ridiculo que os mandamentos humanos prevalecessem sobre a Palavra de Deus. Por isso vibro com a liberdade que Jesus nos outorgou de adora-lo sem depender de ninguem senao dEle mesmo e da sua graca. Deus continue a abencoar voce, sua linda familia e abencoado ministerio. É verdade que as vezes uma estrutura faz falta. Mas parafraseando o que Jesus disse sobre o sabado, a estrutura foi feita para o homem e nao o homem para a estrutura, ou seja da mesma forma que o sabado foi feito para o homem descansar, as estruturas deveriam servir ao homem e nao o homem às estruturas. Mas sem estrutura alguma, voce esta nos abencoando a milhares de quilometros de distancia. Obrigado. Seu ministério tem extensao maior do que voce pensa. A Palavra de Deus nao esta presa. Shalom e abracao.

Adriana disse...

Muito bom!!
Já estou ficando e espero sua vista ao meu humilde blog.

Um abraço

Rita de Cassia disse...

Pastor Moacir e Cia

Louvo a Deus por sua vida e sua família, pois como já te disse, eu sei que Deus me ama por ter me dado voce e Fátima como pastores e não apenas pastores, mas amigos irmãos de verdade...
Agradeço tambem porque essa semente plantada no meu coração frutificou com força.
A instituição realmente e muitas vezes é incômoda mesmo, mas a liberdade que Jesus nos dá vai além. Graças a Deus!!!
E assim, tenho vivido a maravilhosa experiência de ser livre... compreendendo que nenhum ser humano é perfeito, mesmo aqueles que às vezes acreditam que são( infelizmente )!!
Talvez não tenham entendido que Deus sempre usou seres humanos imperfeitos e falhos, afinal toda glória pertence a Ele. E quanto mais perto dEle, menores ficamos...
O evangelho que voce me ensinou tem verdadeiras e profundas raízes. E nunca me esqueço de suas palavras: Quando voce conhece a verdade, ninguém te engana!!!
Deus tem sido maravilhoso comigo e me sustentado sobrenaturalmente...Obrigado pastor, por me fazer enxergar essa Verdade, que é o PRÓPRIO DEUS que age na minha vida!

Lu Rodrigues disse...

Nossa, quantas maravilhas Jesus faz!!
Acabo de ler seu texto e qdo entro aqui, leio o texto do Mário também... fico cada dia mais feliz por tudo o que Deus tem nos feito, a nós os que cremos em Seu nome sem barganhas, sem rótulos.

http://tende-animo.blogspot.com/